A camada que recobre externamente os seus dentes está com aspecto de corroído ou desgastado? Talvez você seja mais uma vítima da erosão dentária, um problema que está cada dia mais presente em consultórios odontológicos e tem uma característica progressiva e destrutiva, devido a perda do tecido duro dos dentes. E talvez os seus hábitos alimentares sejam a causa.

Uma das origens da erosão dentária está na ingestão de alimentos e produtos com alto índice de acidez, como refrigerantes, bebidas energéticas, frutas ácidas e sucos de frutas naturais ou industrializados. E costumeiramente, após nos alimentarmos, automaticamente escovamos os dentes, aumentando exponencialmente o desgaste do esmalte dos dentes.

Isso ocorre, pois após a ingestão de alimentos ácidos, o pH da boca passa de 6,4 para 5,5. Neste momento, a flora bacteriana e as enzimas presentes na saliva estão em níveis mais elevados dentro da boca, fragilizando o esmalte dos dentes – e assim a escovação imediata pode ocasionar um desgaste maior e acelerado.

Quem também precisa se preocupar com esses efeitos destrutivos à saúde bucal são pessoas com problemas gástricos que sofrem com refluxo e vômitos frequentes, anorexia e bulimia nervosas, já que todos esses problemas resultam na volta do suco gástrico para a boca e o consequente desgaste do esmalte. A erosão pode ser precoce, acometendo até mesmo crianças pelo uso da mamadeira, devido o tempo de contato da bebida com o dente.

A erosão dentária tem chamado a atenção de muitos profissionais de odontologia, devido ao grande número de pacientes que chegam aos consultórios com esse problema. De acordo com o Dr. Marcelo Kyrillos, sócio-diretor do Ateliê Oral, foi notado um aumento de 20% nos casos de pessoas que apresentam este problema em sua clínica.

Uma das alternativas para amenizar a erosão do esmalte dos dentes é evitar o contato com bebidas e alimentos ácidos por meio de canudinhos quando possível, ou até mesmo combinar alimentos ricos em cálcio para diminuir a acidez.

Para evitar a erosão dentária, que causa muito desconforto, a prevenção é a melhor opção, aconselha Dr. Kyrillos. Consultas regulares ao dentista, associada aos cremes dentais focados em regeneração da dureza do esmalte, são chave para uma verdadeira saúde bucal.

Vale considerar, também, que a erosão dentária pode ser um alerta para você repensar toda a sua saúde, pois é um alerta sobre sua alimentação e saúde do aparelho gastrointestinal. Afinal, como diz o dito popular, você é o que você come.

Para quem já sofre com esse problema, o tratamento para esses casos consiste em devolver o esmalte desgastado com fragmentos parciais de porcelana. Uma técnica não invasiva, totalmente conservadora.

Entre em contato, marque uma consulta e tenha a harmonia perfeita entre saúde e beleza. Uma equipe multidisciplinar irá te atender para garantir o seu melhor sorriso.

Conheça os 3 estágios da Erosão dentária

1º Estágio – Mesmo que seus dentes aparentem estar 100% saudáveis, a erosão dentária pode estar agindo, porém invisível a olhos nu.

Tratamento Indicado: Consultas regulares ao dentistas e o uso de pastas de dentes modernas que são focadas na regeneração do esmalte.

2º Estágio – Sem o tratamento preventivo, inicia-se o segundo estágio, onde o paciente começa a ter perda de volume no esmalte dental (desgaste dos dentes).

Tratamento Indicado: Lentes de contato e fragmentos (com clique para explicação dentro de conteúdos no site).

3º Estágio – Qualifica-se, quando os dentes do paciente já entrou em processo de colapso total, ou seja, severo desgaste dos dentes.

Tratamento Indicado: Reabilitação Oral com coroas de porcelana (com clique para explicação dentro de conteúdos no site)

  • Rua João Lourenço, 564 Vila Nova Conceição - São Paulo
    Clínica de Odontologia Dentística (Estética) Multidisciplinar,
    Clínica Geral, localizada na Vila Nova Conceição, em São Paulo.
    CROSP/CL 12644. RT- CRO 83632. LUIS Eduardo Z.B. Calicchio.
  • Tel: (11) 3040-8884
  • Facebook Twitter LinkedIn Youtube Instagram
  • Agência Mestre