Primeira Consulta:
(11) 96172-9130
(11) 3040-8884
Outros departamentos:
(11) 3040-8887

5 coisas comuns no dia a dia que podem causar mau hálito

por Marcia Di Domenico
Colaboração para o VivaBem

Pode acontecer com todo mundo: ao acordar, depois de várias horas sem comer ou até na academia. A halitose (termo técnico para mau hálito) é resultado da degradação de restos de alimentos e partículas da mucosa pelas bactérias presentes na boca, processo que libera gases com cheiro desagradável, na maioria das vezes derivados do enxofre.

Quase sempre, o cheiro desagradável é causado pela falta de higiene bucal adequada. Mas existem outros fatores que também podem deixar você com um bafinho durante o dia. Nós mostramos alguns deles com a ajuda de Camila de Barros Gallo, professora do Departamento de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da USP; do cirurgião-dentista Hugo Roberto Lewgoy, membro da International Association for Dental Research (IADR); e de Camila de Barros Gallo, professora do Departamento de Estomatologia da Faculdade de Odontologia da USP; do cirurgião-dentista Hugo Roberto Lewgoy, membro da International Association for Dental Research (IADR); e de Marcelo Kyrillos, cirurgião-dentista e sócio-diretor do Grupo Ateliê Oral, em São Paulo.

Fatores que podem deixar você com mau hálito

Sua boca está muito seca
A saliva tem a função de “lavar” a cavidade oral de restos de alimentos, além de facilitar a digestão e proteger contra microrganismos invasores. Quando a salivação é reduzida –durante o sono, depois de horas sem beber água ou mastigar e devido a alguma disfunção nas glândulas salivares– a boca resseca e descama com mais facilidade, alimentando as bactérias locais e piorando o hálito. Quer aliviar o bafo em instantes? Beba água ou coma maçã, cenoura crua, folhas ou castanhas. Esses alimentos são fibrosos e obrigam a mastigação, o que estimula a produção de saliva.

 

A alimentação não está equilibrada
Em dietas low carb (pobres em carboidrato), que derrubam o nível de glicose no sangue, o organismo recorre às gorduras como fonte de energia. E a queima de gordura produz cetonas. Esses resíduos passam pela corrente sanguínea e são expelidos pela respiração, liberando gases com cheiro ruim. Essa também é uma das causas da halitose em dietas com jejum intermitente. A low carb e outros regimes com muita proteína animal ainda favorecem o mau hálito porque estimulam a formação de muco e o acúmulo de saburra (provocada pelo acúmulo de bactéria na língua).

 

Você está pegando pesado no treino
Está aqui um bafo que talvez você até goste de ter. O cheiro ruim na boca durante a atividade física geralmente resulta da queima de gordura provocada pelo exercício. Isso produz corpos cetônicos e libera um odor levemente desagradável na respiração. Quem faz treino em jejum ou não se hidrata direito na academia também pode sofrer com o problema.

 

Algum remédio que você tomou
Medicamentos da categoria dos ansiolíticos e antidepressivos, além de anfetaminas, diuréticos e anti-hipertensivos, têm na fórmula substâncias que podem inibir a salivação e ressecar a mucosa bucal. A saída aqui é beber bastante água ou mastigar algo para estimular a produção de saliva.

 

O drinque com a turma no bar
O álcool deixa a boca seca e você com aquele bafo na manhã seguinte a uma noite de bebedeira. Uma saída para evitar o problema é intercalar os goles de bebida alcoólica com água. Quem bebe e fuma sofre ainda mais com mau hálito. Um cigarro contém milhares de substâncias tóxicas, o que já bastaria para explicar o odor ruim na boca depois de algumas tragadas. A combinação química ainda resseca a mucosa bucal, favorecendo a formação de placa bacteriana e a halitose, que pode se tornar crônica em fumantes inveterados.

 

Matéria publicada originalmente em: Viva Bem